WC públicos

WC públicos

WC públicos


Algumas pessoas só de pensar que podem precisar de visitar uma casa de banho pública, ficam aterrorizadas. De facto, não é possível ter em cada casa de banho pública alguém que se preocupe em exclusivo e a tempo inteiro por assegurar que os cubículos e a casa de banho em geral sejam mantidos em condições de asseio e higiene aceitáveis.

 

Todos temos necessidade de visitar uma casa de banho várias vezes ao dia e na realidade, para que as casas de banho públicas não nos aterrorizem só de nelas pensar, é necessário que os seus responsáveis comecem de facto a dar mais atenção à importância de manter estes locais perfeitamente limpos, higienizados e dotados de sistemas que contribuam para uma mais fácil manutenção das condições ideais de Higiene durante 24 horas, todos os dias. Aos responsáveis de decisão pedimos que pensem no que escreveu Ken Blanchard e Sheldon Bowles no seu livro Fãs incondicionais, quando relatam a preocupação de um empresário com as casas de banho da sua loja, pensando em servir os seus Clientes e em assegurar que os mesmos se tornassem fãs incondicionais.

Apresentamos a seguir algumas sugestões que podem contribuir para melhorar as condições de Higiene, Saúde e Segurança, nestes locais públicos, por todos nós visitados. Algumas das sugestões devem ser praticadas por todos nós, outras devem ser garantidas pelos que são responsáveis pelas instalações ou pela gestão das mesmas. Acima de tudo, é fundamental um aumento da consciência cívica de todos, quanto mais não seja pensando nas nossas crianças, idosos e em todos aqueles que sofrem de doenças agudas ou crónicas responsáveis pela diminuição da capacidade de resposta do sistema imunitário, situação que os torna mais susceptíveis a contrair o mais diverso tipo de infecções.

  1. Nunca se esqueça de puxar o autoclismo. Pense em si e nos outros. Pense principalmente em como gostaria de encontrar a sanita quando por necessidade urgente a tiver que utilizar. Se tiver um sistema de higienização do tampo de sanita utilize-o e sente-se em segurança; deixe o local tal como gostaria de o encontrar.
  2. Utilize apenas a quantidade de papel higiénico que realmente necessita. Não o utilize para outros fins, tais como forrar o assento da sanita antes de sentar, ou puxar o lustre aos sapatos. Demasiado papel pode causar entupimentos desagradáveis. Não deixe o papel desenrolado até ao chão; a presença de bactérias no piso junto às sanitas é também extremamente elevada.
  3. Utilize os lavatórios para lavar bem as mãos. Não devem ser usados para outros fins nem para efectuar lavagens de outro tipo; utilize sistemas em espuma esfregando bem as mãos antes de as enxaguar convenientemente, retirando toda a sujidade e sabão. Não passe apenas as mãos por água - as bactérias agradecem se esse for o seu hábito.
  4. Após a lavagem das mãos proceda à secagem das mesmas. Não as sacuda nem saia com as mãos molhadas, uma vez que estes hábitos favorecem a transmissão de bactérias; utilize com civismo os sistemas de secagem colocados à sua disposição.
  5. Não deite papel para o chão. Coloque o papel usado dentro de recipientes próprios evitando assim um aspecto desarrumado desagradável. Se disponível, utilize as toalhas de mão 100% algodão pois garantem uma maior eficácia na secagem e uma remoção mais eficaz de bactérias e de restos de sabão; além disso, está a contribuir para a preservação das árvores e da natureza.
  6. Coloque todos os resíduos indesejáveis em recipientes próprios para o efeito. A colocação de tampões e pensos higiénicos, por exemplo, em cestos onde habitualmente se coloca o papel, pode dar origem a maus odores desagradáveis, além de se tornarem numa fonte de desenvolvimento de microorganismos. Por outro lado, este tipo de resíduos não deve ser colocado directamente nas sanitas uma vez que além de poderem causar entupimentos são também prejudiciais para o meio ambiente.
  7. Não fume nas casas de banho. Torna o ambiente mais desagradável; pode originar queimaduras nos sistemas colocados ao dispor dos utilizadores e a cinza cria um aspecto sujo, contribuindo para uma imagem de falta de asseio e limpeza;
  8. Utilize o urinol para o fim a que se destina. Não coloque pontas de cigarro ou pastilha elástica nos urinóis. Podem causar entupimentos desagradáveis. Evite molhar e sujar o piso adjacente. Se existir um sistema de desinfecção instalado nos urinóis não o danifique pois o mesmo contribui para proteger a sua Saúde e a de todos os utilizadores;
  9. Diga não ao vandalismo. Infelizmente, em muitas casas de banho, os resultados de acções de vandalismo, são inconcebíveis. Demonstre civismo e respeito pelos outros utilizadores das casas de banho; não é razoável que um comportamento cívico e respeitoso só seja conseguido através de um aumento dos níveis de supervisão e controlo;
  10. Assegure níveis de ventilação adequados. Apesar de a principal origem dos maus odores estar associada ao desenvolvimento bacteriano, a instalação de sistemas específicos que actuam ao nível do controlo desse desenvolvimento pode reduzir consideravelmente este problema; além disso, é conveniente garantir bons níveis de ventilação, que permitam uma boa circulação do ar e a qualidade do mesmo. Por outro lado, a utilização de sistemas de controlo de odor, sem aerossóis, ajuda a criar um ambiente geral de asseio e higiene extremamente elevado, sem riscos para a Saúde nem para o ambiente.